Tag: colcci

Colcci lança coleção de camisetas da Disney

colcci-disney-013

A Colcci está lançando uma coleção de camisetas inteirinha com personagens da Disney. Tem para homem (poucos modelos) e muuuuitos outros para mulheres. Vários desenhos ganharam roupas, como Bambi, Peter Pan, Alice no País da Maravilha, os vilões Irmãos Metralha e outros.

colcci-disney-019

Veja todos os modelos no JustLia.

SPFW Verão 13/14 // Colcci

O desfile da Colcci fechou o penúltimo dia da temporada de Verão 13/14 da São Paulo Fashion Week.

A marca apresentou a coleção passada de Verão inspirada no surfe dos anos 90 com uma cartela de cores que vai dos tons pastel, passando pelo pistache e chegando ao azul royal e aos tons flúor, como o amarelo e o laranja. Já nesta temporada ela trouxe uma coleção inspirada em uma ideia de um jardim geométrico, “Geometric Garden”; o que me fez ver alguns pontos de semelhança com algumas coleções de Verão da Lacoste. Tudo está amarrado à geometria, até mesmo numa mistura de estampas onde os florais têm base geométrica; as listras tiveram uma presença forte, o que foi apontado como um dos “hits da coleção”.

Uma coleção bem equilibrada, com calças, bermudas, shorts, camisetas, camisas, cardigãs, pulôveres, coletes, jaquetas e paletós.

Eu tenho o pensamento que menos é mais em se tratando de combinar estampas, contudo, confesso que certas combinações fizeram-me repensar isso.

Colcci_1

Colcci_2

Colcci_3

Colcci_4

Colcci_5

Colcci_6

Colcci_7

Colcci_8

Colcci_9

Colcci_10

Colcci_11

Colcci_12

 

Tchau, Ashton, oi, Paul: veja nova campanha da Colcci

0225133

A Colcci continua investindo em celebridades internacionais para suas campanhas (o que eu não acho legal, dado que no Brasil há tanta gente bonita e talentosa quanto). Anyway: a empresa agora traz Paul Walker para vestir sua coleção de outono/inverno 2013.

As fotos foram feitas por Sebastian Kim, na California, e conta com Erin Heatherton, Izabel Goulart e Thairini Garcia também. E a coleção parece bem bacana, né?

0225134

0225135

0225136

São Paulo Fashion Week Inverno 2013 – Colcci

A Colcci desfilou sua coleção inspirada em diferentes tipos de uniformes, principalmente os militares e college.

A marca mostrou um desfile em que equilibra uma imagem de moda jovem e atual com peças produzidas em larga escala, RTW.  Os looks college vieram com uma imagem mais contemporânea, com as sobreposições feitas com bermuda e legging.

O jeanswear foi trabalhado tanto na alfaiataria quanto num estilo mais casual. Ele ganha estampas de arabescos, cortes mais ajustados e detalhes de couro e vem acompanhado de peças em tecidos diferentes.

Casacos de lã pesada, de ar mais vintage, estamparia com predominância de geometria e ênfase numa cartela de cores escuras, com tons de marinho, preto, cinza, vinho, bordô e verde-militar.

Os casacos longos foram os destaques da coleção.

A escolha de Punching In A Dream – The Naked And Famous no setlist, na minha opinião, foi muito boa, porque a banda transmite uma visão jovem e “descolada”, que assemelha-se a proposta da marca.

Ashton Kutcher pode vir ao Brasil desfilar para a Colcci

De acordo com o Glamurama, Ashton Kutcher deve vir ao Brasil no ano que vem para desfilar para a Colcci. Com ele, Demi Moore vem assistir ao desfile da primeira fila.

O astro, além e mostrar o corpo nas passarelas, também irá estampar a campanha da próxima coleção da marca, que deve ser fotografada nos próximos dias, junto com Alessandra Ambrósio.

colcci e o inverno de 2010

Gisele Bünchen blá, blá, blá, Colcci, blá, blá. Eu sempre tive um pé atrás com a marca porque eles têm aquela ótima mania de desfilar coisas incríveis, fazer looks books maravilhosos e botar roupa feia pra vender. Na nova campanha, com Gisele Bündchen e Danny Schwarz, a grife está ótima, com tudo dando vontade de comprar. É esperar pelo acerto, né? Gostei das blusas, demais ;D

[nggallery id=27]

SPFW: Mario Queiroz, Cavalera, Osklen e Colcci

mario_1

SPFW mal começou e começou bombando. Ontem, no primeiro dia de desfiles de grifes na Bienal, já tivemos ótimas (e estranhas) demonstrações do que está por vir.

E a SPFW deu a largada assim, deixando todo mundo boquiaberto com a coleção sensacional de Mario Queiroz. Sério. Eu nem sei o que dizer. A coleção foi extremamente colorida, com calças, blusas, jaquetas, camisas, coletes. Tudo, tudo, tudo ficaria simplesmente sensacional no meu armário. A intenção era mostrar o Reino Unido, uma coisa meio punk e meio chic. Londres. E, como sabem, eu amo Londres.

mario_2

Vermelho, xadrez preto e branco, listras em todas as direções. Aquele tipo de roupa que qualquer homem gostaria de usar se ele gosta de aparecer, de se destacar.

mario_3

E não teve como não pensar: no final do desfile, o ar dândi, que parece ser a tendência para o inverno, apareceu também no desfile do cara. Eu não esperava algo jovem e colorido para o desfile dele, mas, sem querer, assim, conquistou meu coração. E, de ante-mão, eu já digo: acho que vai ser o melhor desfile da temporada toda.

osklen1

Depois veio Osklen, e eu tô começando a aprender a não esperar demais de Oscar Metsavaht. Há um tempo, eu adorava a Osklen, adorava suas coleções, adorava as araras da loja, adorava o cheiro. Agora, sempre que passo por uma, me dá dorzinha no coração. As roupas são iguais, não há inovação. O desfile também não. Temporada passada, o tema foi o samba, para esta, algo mais sombrio. O desfile começou preto.

osklen2

A gente pula esta parte, porque não há nada de diferente. Sungas e shorts foram mostrados para a coleção outono inverno. Eu vou direto para o tricô, que veio colorido, mas parecidíssimo com um mostrado há algumas temporadas. Não entendi, Osklen. Não entendi.

cavalera1

Cavalera sempre é bacana. Primeiro: acho desfile fora da Bienal uma coisa bem in. Este ano, a grife mostrou suas criações na Galeria do Rock, no centro de São Paulo. Um bom lugar pra mostrar moda. A coleção, claro, era preta, bem rock’n’roll, com brilhos e jeans manchados.

cavalera2

cavalera3

Podemos ver alguns paletós e coletes de alfaiataria, coisa que a grife vem se dando bem. As camisetas ficaram legais, com estampas de rock e o nome da marca – sempre – aparecendo. Um porém: é bom tomar cuidado com a Cavalera, que sempre mostra bonito nos desfiles, mas, depois, as roupas nunca chegam às lojas.

colcci_1

A Colcci, é claro, abusou do jeans. Desta vez, a grife apostou numa temática meio ‘exército’ para a coleção, mas, na real, o que queriam mesmo era mostrar pessoas viajantes. Sem Gisele Bündchen, a euforia ficou por conta de Cauã Reymond. O militarismo, é claro, é a tendência para 2010. Muito verde, uma leve variação de cor e bastante tricôs.

colcci_2

colcci_3

Para os homens que gostam, os macacões voltam com tudo, agora mais largos, jogados no corpo. A coleção da Colcci é comercial, como deveria ser.

Vende ou não vende?

Osklen – venderia, mas eu ouvi dizer que a grife não vai botar nenhuma peça desfilada a venda. Então não sei. Acho que as roupas ficaram comuns. Muita gente gostaria de comprar. Nota 6.

Cavalera – vende, vende, vende. Acho que as roupas são a cara da grife e que daria supercerto nas araras. Nota 8.

Colcci - A Colcci é aquilo, né? Nunca sei o que vai rolar. Apesar de eles desfilarem coisas bacanas, quando vou ver, na loja, existem roupas nada a ver com a coleção. Nota 7.

Mario Queiroz – cara, se você lê este blog: VENDA! Eu compro a coleção inteira. Nota 10!

A SPFW dos meninos

A 27ª edição da São Paulo Fashion Week começou ontem e já trouxe tudo aquilo que a gente mais gosta: roupas, muitas roupas, e Gisele Bündchen. Querendo ou não, a gente sempre acaba esperando o desfile da Colcci para ver a übbermodel. Desta vez, no entanto, a grife acrescentou ao seu elenco Jesus Pinto da Luz, o santo que teria pegado Madonna em sua passagem pelo Brasil. Se pegou ou não, não me importa, o que importa é que o cara fez a fina nos bastidores, não quis falar com ninguém e, dizem as más línguas, recebeu 1/4 do cachê de Gisele para fazer duas entradas na noite de ontem. Antes, o cachê dele era de R$ 400. Mas vamos ao que interessa: as roupas.

A Osklen abriu a SPFW. Eu, fã descarado e que queria ter todas as roupas da grife, sempre espero pelo desfile cor de areia e roupas de mendigos chiques. Desta vez, quase caí da cadeira. A Osklen quis levar para a passarela algo como o Carnaval, com roupas coloridas e cheias de brilho. Oskar Metsavaht trouxe roupas confortáveis, sobrepostas,  transparentes e desestruturadas. Eu deixo a dica para a Osklen: o seu forte é preto, cinza, moletom e cor de areia. Não gostei do desfile. Lembrando: é a MINHA opinião. O bom é saber que eu não vou gastar um real com a Osklen por um booom tempo…

Depois do desastre Osklen, veio a V.Rom. Ah, e como veio. A V.Rom começou com um desfile branco e depois encheu a passarela de cores. A ideia é acabar com o clássico da roupagem masculina e inovar, desfiar, desestruturar, recortar. Coletinhos coloridos, listras, decotes, algumas roupas conceito demais, outras que cairiam como uma luva nas araras e… Jaquetinha jeans, que, pelo jeito, vai estar com tudo no verão!

Por fim, a Colcci. Vamos lá, a Colcci é conhecida pela Gisele. É assim que a marca consegue chamar a atenção da mídia nacional e internacional. As roupas, no entanto, nunca foram o seu forte. Problema, né? Nesta temporada, no entanto, parece que por uma graça divina (e não por Jesus Luz), a Colcci acertou. Muito xadrez, que permanece forte, cores, transparências, short descolado, cortes desestruturados (aliás, desestruturar é o novo preto, né?), camisetas decotadas e cardigãs. Gostei, gostei bastante, usaria tudo e sairia feliz pelas ruas. Colcci poderia deixar Gisele, Jesus e só ficar com Rodrigo Hilbert, que sempre faz bonito, e economizar uma graninha. Pronto, falei.

PS. O peito de Jesus é falso?